Ir para: página inicial | pesquisa   | área reservada

Batata indústria: colheita e armazenagem

A armazenagem de batata, como a de qualquer outro produto, é uma prática necessária para permitir o seu consumo nas épocas em que não é viável a sua produção.

No caso específico da batata de indústria temos um período normal de produção, que pode ir de Maio a Outubro, pelo que, há necessidade de recorrer a armazenagem durante praticamente seis meses. A Agromais investiu em câmaras de frio, específicas para esse fim, com uma capacidade de cerca de 3.600 toneladas, de modo a satisfazer a procura, no período em que não há produção.

Nem todas as variedades têm características para poderem ser armazenadas e muito poucas suportam um período tão longo. Uma das características é serem variedades de ciclo longo, sendo a colheita efetuada no final de Agosto e em Setembro. Em certas zonas pode ir até Outubro, para evitar altas temperaturas à colheita.

Na zona de produção da Agromais - Vale do Tejo - não deve ir além da 1ª quinzena de Setembro, pois a partir daí verifica-se uma degradação da qualidade. Das variedades por nós utilizadas, a Hermes é a única com características para armazenar. Apesar dos ensaios realizados com outras variedades, esta é a que se tem mostrado mais bem adaptada em termos agronómicos.

O estado e a qualidade da batata é um fator muito importante. A colheita deve ser realizada quando a batata atinge a completa maturação, de modo que esteja bem encascada e que o teor de açúcares seja estável. Deve estar sã, livre de pragas e doenças, sem danos físicos (golpes ou feridas) nem fisiológicos.
A seleção dos campos é muito importante para se conseguirem lotes homogéneos, uma vez que se faz a armazenagem a granel.

É igualmente importante um bom estado sanitário da cultura e que a colheita seja realizada nas melhores condições, ou seja: evitar altas temperaturas (abaixo dos 20ºC); manter uma humidade adequada no solo para evitar que a batata leve muita terra; colhedora bem ajustada para evitar pancadas e danos mecânicos; reduzir quedas nas cargas e descargas; evitar a exposição ao sol ou à chuva.

O processo de conservação tem em conta que a batata é um ser vivo, que transpira e respira. Através da transpiração perde peso e com a respiração forma-se dióxido de carbono, libertando calor. Para reduzir esses efeitos é necessário baixar a temperatura de forma escalonada, o que nas nossas condições só se consegue recorrendo á refrigeração, com ventilação para renovação do ar de modo a reduzir a concentração de dióxido de carbono. A ventilação deve ser moderada, procurando manter uma humidade relativa elevada de modo a reduzir perdas de peso. É recomendável usar sistemas de humidificação.

As baixas temperaturas também reduzem o risco de desenvolvimento de doenças, mas não se deve baixar demasiado, pois as temperaturas muito baixas (inferiores a 8ºC), provocam alterações fisiológicas que prejudicam a qualidade.

Outro aspeto a ter em conta na conservação da batata é o abrolhamento, só se conseguindo evitar recorrendo a produtos anti-abrolhantes. Na armazenagem de longa duração pode ser necessário mais que uma aplicação.

O conhecimento acumulado ao longo dos últimos anos pela Agromais, muito suportada em parcerias com a indústria, permitiram melhorar um conjunto vasto de indicadores de eficiência e qualidade que se refletiram diretamente no valor pago aos nossos produtores. Aqui está um exemplo do trabalho sistematizado que pode, e deve, ser feito por uma Organização de Produtores.

Susete Matos
Departamento Técnico da Agromais



     

Voltar

Susete Matos

© 2013 AGROMAIS – Entreposto Comercial Agrícola, C.R.L. | Todos os direitos reservados


Zona Industrial de Riachos – Apartado 24 2354-908 RIACHOS
Tel: +351 249 830 170 Fax: +351 249 830 179 - agromais@agromais.pt

Desenvolvimento: AGROGESTÃO